Diolene Gimo, Directota-Adjunta do Observatório Cidadão para Saúde (OCS), possui uma larga experiência em trabalhar com Organizações Comunitárias de Base (OCB) de cunho juvenil e feminista, tendo a pretensão de contribuir para que Moçambique se torne num país seguro para raparigas e mulheres. Para tal, ela acredita que há necessidade de se munir as mulheres de conhecimentos sobre os seus direitos, para que possam controlar as três dimensões do corpo (sexualidade, reprodução, e força de trabalho), assumindo protagonismo em todo processo de tomada de decisão.
Gimo tem experiência em Gender Mainstreaming e Desenvolvimento, Gestão de Projectos e Fundraisng. A experiência em alusão está associada a abordagens de educação popular, herdadas em movimentos feministas. Para Gimo, a abordagem sobre género constitui uma mais valia para o alcance da visão e missão do OCS, tendo-se em conta que as mulheres – na qualidade de grupo maioritário no acesso aos centros de saúde – devem ter uma assistência de qualidade, sem descriminação ou qualquer outra forma de opressão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.