No contexto da luta contra a Violência Obstétrica, Violência Baseada no Género em Contextos Humanitários, assim como na promoção da Saúde Sexual e Reprodutiva nas Escolas, o Observatório Cidadão para Saúde (OCS) e Ipas-Moçambique realizam, na Sexta-feira (09) da semana em curso, em Maputo, um seminário que visa discutir e reflectir sobre os temas em alusão.  

O evento, que está inserido na Campanha dos 16 Dias de Activismo Pelo Fim da Violência Contra Mulheres e Raparigas, pretende divulgar os resultados das pesquisas desenvolvidas pelas duas organizações, nomeadamente:

De acordo com a directora adjunta do OCS, Diolene Gimo, mais do que apresentar resultados das pesquisas, pretende-se igualmente  instigar um debate multissectorial e inclusivo em busca de soluções conjuntas para uma resposta adequada aos desafios actuais ligados à violência baseada no género em diferentes abordagens.

Para Gimo, os debates sobre os temas em alusão são pertinentes para o público, numa altura em que os casos de violência, tanto obstétrica como baseada no género, têm ganhado proporções alarmantes no seio das comunidades.

“Estamos no decurso das celebrações dos 16 Dias de Activismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres e Raparigas, e nos preparativos para a celebração do Dia Internacional dos Direitos Humanos. Assim sendo, as temáticas apresentadas, neste seminário, são de grande interesse para as mulheres, dado que são as principais vítimas”, sublinhou.

“Temos escutado relatos e assistido aos dramas vividos pelas mulheres grávidas, parturientes e puérperas. Elas têm enfrentado, nas maternidades, situações que levam a perdas irreparáveis para várias famílias, instalando medo no seio das mulheres que tencionam se tornar mães”.

Sobre a retirada do conteúdo referente à sexualidade no livro da 7ª classe, a directora adjunta lembra que “esta situação mexeu com diferentes sensibilidades e, pese embora se tenha feito muitos progressos, com relação ao acesso e gozo dos direitos sexuais e reprodutivos dos adolescentes e jovens, pode-se perceber que a sociedade continua fechada e adversa a discussões desta temática, pior ainda em espaços público.”

Este evento, adianta Gimo, é muito importante não só para divulgar pesquisas mas também para discutir, junto de diferentes grupos sociais, possíveis soluções para que se continue a salvaguardar os direitos humanos das mulheres e raparigas.

Espera-se, com a realização deste evento, influenciar, mobilizar e sensibilizar todos os actores governamentais (Ministério da Saúde, provedores de serviços de saúde, Ministério do Género, Criança e Acção Social e o Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano) organizações da sociedade civil, utentes, e sociedade em geral para a eliminação da violência obstétrica e promoção da educação sexual no contexto escolar e nos serviços de saúde. As pesquisas sobre Violência Obstétrica e Perspectiva dos Adolescentes acerca da Retirada do Conteúdo da Sexualidade no Livro da 7ª Classe foram realizadas no âmbito do Projecto Sou Cidadão e financiadas pela União Europeia, através do PAANE.

Para participar no Seminário via zoom, acesse o seguinte link: https://us06web.zoom.us/j/85355430458?pwd=cHg0aUVsTEpZWHRoVFFQZW41SXlDZz09

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *